Ponto Eletrônico - Como funciona? Qual o melhor?

Ponto Eletrônico – Como funciona? Qual o melhor?

Por mais que pareça ser uma atividade simples, o registro do ponto, ou sua ausência,  pode ocasionar vários problemas para a empresa se sua administração for falha e utilizada de forma errada. Para facilitar isso, o ponto eletrônico é uma implementação que auxilia no controle do horário dos funcionários de maneira automatizada e, por conta disso, passou a ser adotada por várias empresas. 

Mas como funciona o ponto eletrônico?

Fique atento no post de hoje, pois iremos tirar essas e outras dúvidas relacionadas a esse sistema de monitoramento de ponto para abolir todos os problemas relacionados a esse segmento de dentro do seu ambiente de trabalho. 

Como funciona o Ponto Eletrônico?

Encontrar uma forma ideal de registro de horário dos funcionários de maneira automatizada pode ser uma atividade difícil para uma empresa. Afinal, inúmeras normas técnicas regem a maneira como essa funcionalidade precisa ser aplicada. Por conta disso, qualquer aplicação que tenha por objetivo facilitar esse procedimento é muito bem vinda.

Funcionando através de equipamentos para o controle dos horários, o ponto eletrônico é a opção mais segura para gerir a jornada de trabalho dos colaboradores, e pode ser marcado através de biometria, cartão magnético, senha ou, em alguns casos, até mesmo reconhecimento facial. 

Acima de tudo, esse gerenciamento tem por intuito primordial garantir que as obrigações de ambos os lados, empregador e funcionário, sejam cumpridas. 

Milhares de processos são formalizados anualmente na Justiça do trabalho por problemas no controle de horas. Horas extras indevidas  e intervalos intrajornada estão entre os casos mais comuns registrados pelo Tribunal Superior de Trabalho, centenas desses podendo ser evitados caso houvesse um controle assíduo da jornada dos funcionários dentro da empresa. 

Qual o melhor?

Como mencionamos anteriormente, existem várias formas para registro do ponto. Entre elas, podemos citar o Registro Biométrico; Reconhecimento Facial; Cartão Magnético e Senha. Mas qual a melhor opção para a minha empresa?

É preciso considerar alguns itens antes de dar o veredito final em sua escolha, e é sobre eles que iremos falar nos próximos tópicos.

– Homologação ou autorização do Ministério do Trabalho: A Portaria 373 do MTE estipula alguns requisitos para a regularização e validação do relógio ponto. Sendo assim, o primeiro passo que você precisa dar é ficar antenado às normas trabalhistas exigidas pelo órgão. 

– Funcionalidades: Somente você sabe qual a demanda que a sua empresa precisa. Então, você também precisa escolher o relógio ponto que mais combina com o perfil da sua corporação e mais atenda às suas necessidades. 

Alguns permitem a marcação de entradas e saídas, realizando um relatório simplificado no final do mês. Em contrapartida, outros possibilitam a gerência  de questões como as escalas de trabalho e trabalhadores externos. Então, é preciso reconhecer qual tecnologia traz mais benefícios à empresa. Apenas dessa forma, você consegue fazer uma escolha mais assertiva. 

– Custo: É mais do que necessário uma análise apurada sobre os valores do equipamento a ser adquirido, pois, investir com consciência deve ser primordial na hora de aplicar essa funcionalidade. 

Dessa forma, você precisa observar qual o melhor custo benefício para o momento que sua empresa está vivendo. Analisar as funcionalidades de cada uma e utilizar o preço como vetor de desempate entre as melhores opções. 

Agora que você conhece todos os vetores essenciais para auxiliar na sua decisão, está na hora de implementar essa solução na sua empresa e ficar regularizado com as leis trabalhistas da melhor forma possível: com tecnologia. 

Quer conhecer melhor esta solução e cada uma de suas funcionalidades do  Ponto Eletrônico? Entre em contato ou preencha o formulário neste link.

Paste your AdWords Remarketing code here