Confira abaixo as publicações desta categoria:

Alteração dos prazos de envio da EFD – Reinf e as multas

Foram alterados os prazos de envio da EFD-Reinf e também foram criadas multas. Isso porque, foram feitas mudanças na Instrução Normativa RFB nº1.701/2017. Essa foi a norma foi que consolidou a Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais (EFD-Reinf). Certamente o objetivo era, entre outros, ampliar o prazo de início de seu repasse ao Sistema Público de Escrituração Fiscal (Sped). Confira o que passa a ser obrigatório:

envio-da-EFD
A partir de 10/01/2019

Relativo às ocorrências sucedidas a partir do primeiro dia de 2019 para o 2º grupo. Este envolve entidades participantes do “Grupo 2 – Entidades Empresariais”, do Anexo V da Instrução Normativa RFB nº 1.634/2016. Todas as que tiveram faturamento de até R$78.000,00 em 2016. Salvo as optantes pelo Simples Nacional, desde que a condição de optante conste do CNPJ em 01/07/2018.

A partir de 10/07/2019

De acordo com as alterações, as ocorrências sucedidas a partir de 10/07/2019, para o 3º Grupo. Este abrange os obrigados que não pertencem aos outros grupos.

Sem data prevista em ato da Receita Federal do Brasil (RFB)

Para o 4º Grupo. Este inclui as entidades públicas, integrantes do “Grupo 1 – Administração Pública”. Também contempla as organizações internacionais, participantes do “Grupo 5 – Organizações Internacionais e Outras Instituições Extraterritoriais”. As duas constam do Anexo V da Instrução Normativa RFB nº 1.634/2016.

É importante lembrar que os prazos para os dois primeiros itens, inicialmente estavam com previsão para 01/11/2018. Já a data estipulada anteriormente para o último item era 01/05/2019.

Para os participantes do 1º Grupo – entidades com faturamento superior a 78 milhões em 2016 – nada mudou. Ou seja, não houve prorrogação do prazo de envio da EFD Reinf, que já foi liberado desde 01/05/2018.

Multas

Além dessas prorrogações, mais uma mudança foi feita na Instrução Normativa RFB nº1.701/2017. Ela passa a instituir que o sujeito passivo que não apresentar a EFD-Reinf na data definida, sofrerá sanção. Quem deixar de apresentá-la, será intimado a dar declaração original. O mesmo vale para quem apresentá-la com incorreções ou omissões. Nos demais casos, ficará sujeito a prestar esclarecimentos. Os esclarecimentos e declarações originais deverão ocorrer no prazo fixado pela RFB. Além disso, a entidade será submetida às multas:

  • De 2% calendário ou fração, incidentes sobre o montante dos tributos declarados na EFD-Reinf. Isso acontecerá mesmo se estiverem devidamente pagos. No caso de falta de entrega de declaração ou de entrega passado o prazo, será limitada a 20%.
  • De R$20,00 para cada grupo de 10 informações incorretas ou omitidas. Nesse caso, a multa mínima a ser aplicada será:
  1. R$200,00 no caso de omissão de declaração sem ocorrência de fatos geradores.
  2. R$500,00 se o sujeito passivo não apresentar a declaração dentro do prazo estipulado ou apresentá-lo com incorreções/omissões.

Porém, as multas poderão ser reduzidas:

  • Em 50% quando a declaração for apresentada após o prazo, mas antes de qualquer procedimento de ofício.
  • Em 25% se a declaração for feita depois do prazo, mas dentro do prazo definido na intimação.

Para Microempreendedores Individuais (MEI), as multas de 2%, R$20,00 e as multas mínimas, serão reduzidas em 90%. Já para as Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) enquadradas no Simples Nacional, a redução será de 50%.

(Instrução Normativa RFB nº 1.842/2018 – DOU 1 de 31.10.2018)

Fonte: Editorial IOB

Transformação Digital

Palavras como redes sociais, acesso remoto, infraestrutura, cloud computing, internet das coisas, big data, nos mostram o caminho da era que estamos transitando: a Transformação Digital. Muito mais que um monte de palavras, a Transformação Digital envolve a reestruturação de processos e a absorção da cultura digital, para que empresas de todos os tamanhos e indústrias adotem estratégias de transformação digital para melhorar a experiência do cliente, otimizar processos operacionais e atualizar modelos de negócios.

ERP e a transformação digital

 

A transformação de todos os processos para um modo digital ocorre cada vez mais rápida e abrangente. Segundo a consultoria IDC, em 2017, as empresas ao redor do mundo investirão US$ 1,2 trilhão em transformação digital.

Uma pesquisa do MIT entrevistou líderes de negócios como CEOs, COOs, CMOs, VPs de Vendas e CIOs e mostrou que as empresas de alta performance combinam estratégias de digitalização de negócios com diretrizes da liderança para avançar da tecnologia para a transformação. As empresas com maior maturidade digital têm desempenho superior às demais.

Com um assunto tão “quente”, vale a pena o questionamento: Onde estão as principais oportunidades de ganho das iniciativas de transformação digital?

“A Transformação Digital nunca esteve tão presente quanto agora, modificando nossos hábitos, nossos comportamentos e a maneira que o mercado funciona. Nós da StarSoft, proporcionamos todas essas transformações ao mercado, gerando vantagem competitiva e contribuindo para o crescimento de inúmeros setores. Inovação, criatividade e planejamento estratégico são as palavras-chave que definem o sucesso em nossas tecnologias.  Fazer parte dessa transformação, é marcar presença na história da humanidade. Atualizações e estudo constantes nos impulsionam a continuar oferecendo as melhores soluções para os nossos clientes”, diz Wellington Silva, Diretor Executivo da StarSoft.

Em primeiro lugar, cloud computing permite que uma empresa remova os silos de informação associados com o legado de tecnologia ganhando agilidade e escalabilidade para focar na melhoria da eficiência, na melhor experiência do cliente, e na revisão de modelos de negócios. A automação e digitalização de processos permite que as empresas concentrem os esforços dos seus times em atividades mais estratégicas, produzindo ganhos de escala e produtividade.

A transformação da experiência do cliente é o aspecto mais visível das iniciativas de transformação digital. Por meio de investimentos em sistemas e tecnologia, as empresas são capazes de aprofundar o seu entendimento sobre os clientes, segmentos de mercado e geografias, tirando insigths para promover melhor as suas marcas através de mídias digitais, dar-lhes um suporte “multicanais” e revisar as jornadas dos clientes.

Como resultado, usar tecnologia para melhorar todos os aspectos de um negócio tornou-se uma prioridade para as empresas. Mais do que isso, os resultados positivos de empresas que já iniciaram suas estratégias de transformação digital estão motivando o ciclo de adoção.

Nesta nova realidade, fatores como tamanho ou escala são menos relevantes – startups causam ruptura em indústrias estabelecidas. A questão central é quão conectada com a tecnologia uma empresa é e qual a velocidade com que esta empresa pode inovar, adaptar-se e criar o seu próprio caminho.

Neste cenário, a StarSoft está na vanguarda de empresas que propiciam a transformação digital.

Seja por meio da digitalização de serviços, – como os modelos de implantação, que pode ser feito 100% remoto, ou pelo fornecimento de soluções tecnológicas. Pequenas e médias empresas podem utilizar a tecnologia para melhorar seus processos e serviços, ganhar competitividade, facilitar inovação e gerar valor nos negócios.

Tendo como núcleo para esse processo de mudança, a adoção de um sistema de ERP (Enterprise Resource Planning), a jornada pela transformação digital será fácil e fluida, com a possibilidade de agregar tendências como mobilidade, computação em nuvem, big data, internet das coisas e e-commerce aos sistemas de gestão, transformando-os em soluções adaptáveis.

Além disso, com o advento da inteligência artificial, o ERP não será apenas um repositório de informações, mas uma parte por onde passará todos os dados desse novo ecossistema digital, dando sustentação para a estratégica do negócio das empresas.

Finanças – Planejamento Orçamentário

Para quem está começando na Gestão Empresarial, a experiência pode ser como um portal que se abre para infinitas possibilidades. Existem diversas melhorias possíveis nos processos da empresa, gerando impactos positivos diretamente no resultado. Claro que também surge muita ansiedade em querer mudar tudo de uma vez só.

A boa notícia é que contamos com sistema de Gestão Empresarial, conhecido pela sigla ERP, e que pode ajudar sua empresa a ganhar velocidade nesse processo, por exemplo. Dentro da Gestão do Desempenho Empresarial, existem diversas ferramentas, modelos, metodologias e várias técnicas que podem contribuir para o aumento dos lucros da empresa. Hoje vamos falar sobre apenas uma delas, que é o Planejamento Orçamentário.

Mas antes, precisamos entender que ele é uma das bases da Gestão Orçamentária. Ou seja, ela estuda como planejar e monitorar sistematicamente os resultados financeiros da sua empresa. Dentro da Gestão Orçamentária, temos quatro grandes fases:

  • Planejamento orçamentário
  • Simulações de cenários
  • Acompanhamento orçamentário
  • Revisões orçamentárias

Uma contabilidade de trás para a frente

O Planejamento Orçamentário consiste em planejar as receitas, custos, despesas e investimentos que sua empresa em curto e longo prazos. É como uma contabilidade reversa, pois ela se preocupa em registrar as entradas e saídas financeiras que já ocorreram. Já o Planejamento Orçamentário busca antecipar o futuro, para que sua empresa se prepare para o que está por vir.

É preciso fundamentar-se em fatos e argumentos para realizar as previsões mais claras e exatas. Existem várias formas de fazer isso. Uma delas é partindo do seu Planejamento Estratégico, Tático e Operacional e convertendo-o em números. Pode ser usando um orçamento com base no departamento, ou por meio do Orçamento Colaborativo.

O que considerar no Planejamento Orçamentário de sua empresa

Agora que já sabemos o que é o Planejamento Orçamentário, precisamos saber como ele é feito. De forma geral, o orçamento de uma empresa é composto por:

  • Planejamento de Vendas
  • Projeção de Deduções de Vendas
  • Orçamento de Custos de Produção
  • Orçamento de Gastos com o Pessoal
  • Orçamento de despesas operacionais
  • Orçamento de investimentos

Cada empresa tem necessidades diferentes e, na Gestão Empresarial, nunca temos uma regra mágica que se aplique a qualquer empresa. Ou seja, todos os itens acima são importantes, mas para sua empresa uns serão mais relevantes que outros.

Você precisa entender o modelo de negócios da sua empresa e definir qual dos itens acima o esforço deverá ser concentrado. Por exemplo, uma empresa que possui muitos funcionários e os gastos com salários e benefícios representam o maior percentual das despesas. Nesse caso, é nesse ponto que a atenção deve ser maior para oportunidades estratégicas.

Outro exemplo: uma empresa no segmento da indústria tem seus custos produtivos associados a um pequeno grupo de matérias-primas. Nesse caso, pode ser que as melhores chances de reduzir custos com um bom planejamento orçamentário estejam nessa etapa.

Enfim, é preciso avaliar e ponderar sempre. Afinal, se estamos planejando, devemos sempre buscar pelo melhor caminho possível.

E para que isso tudo?

Já sabemos o que é Planejamento Orçamentário, como ele é composto e o que precisa ser feito. Agora precisamos começar a colher os resultados.

Depois de elaborado o orçamento com as informações disponíveis, é possível a gerar relatórios, por exemplo. Três deles são considerados essenciais para a gestão de qualquer empresa. São eles:

  • DRE Projetado
  • Projeção de Fluxo de Caixa
  • Projeção de Balanço Patrimonial

Eles são importantes, independente do segmento, porte e idade da sua empresa. A grande mágica está na forma como eles se complementam. Podemos dizer, basicamente, que a Projeção de DRE mostra o quanto de lucro sua empresa vai gerar. Já a Projeção de Fluxo de Caixa mostra quanto dinheiro em caixa a empresa tem para honrar seus compromissos. Por fim, a Projeção de Balanço Patrimonial indica quanto a empresa irá acumular de riqueza no período projetado, expandindo ou não seu patrimônio.

Além dos três demonstrativos, depois de pronto o Planejamento Orçamentário, possibilita a extração de alguns Indicadores de Desempenho Fundamentais. Eles ajudam a entender objetivamente se os planos traçados para sua empresa fazem sentido ou não.

E agora, o que vem depois?

Um planejamento nunca dura para sempre. Por isso, as Revisões Orçamentárias são sempre bem vindas. Elas servem para atualizar os planos no novo cenário que a empresa está inserida.

A StarSoft te ajuda a ter uma visão ampla das receitas e custos da sua empresa. Com o sistema de Gestão Empresarial da StarSoft, é possível analisar toda a estrutura de negócios e seus recursos detalhadamente. Gere relatórios, acompanhe gráficos e mapas gerados em tempo real com praticidade. Acesse o site e conheça todas as funcionalidades oferecidas pela nossa plataforma.

Case de Sucesso – ABCasa

A Associação Brasileira de Artigos para Casa, Decoração, Presentes, Utilidades Domésticas, Festas e Flores (ABCasa) optou pela implantação do CRM da StarSoft e já colhe resultados.

A ABCasa é a maior feira do setor da América Latina, sendo um ponto de encontro B2B (business to business). Movimenta e incrementa a economia do país em duas edições anuais (fevereiro e agosto). E, ambas, acontecem sempre na cidade de São Paulo. Cerca de 100 mil visitantes profissionais (lojistas, arquitetos, decoradores, designers) passam por lá. Ela tem duração de cinco dias e conta com mais de 400 mil itens disponíveis. Em sua quarta edição a ABCasa comprova experiência única e agradável com total infra-estrutura, ferramentas e profissionais renomados do setor.

Desafio

Uma nova abordagem proposta para a feira também apresentou novos desafios. A ABCasa teve um crescimento exponencial e precisava de um sistema, para gestão comercial que acompanhasse esse crescimento. Além disso, também precisava que o compartilhamento das informações fosse parametrizado. Um sistema que atendesse a demanda por reservas, prospecção, ações comerciais e de marketing, cadastros e fornecedores, também era essencial. Além disso, demandava integração com outros sistemas já implantados. E que fosse de fácil aprendizagem para que a transição dos sistemas fosse o mais suave possível para os colaboradores, por exemplo.

A solução escolhida foi o CRM da StarSoft

Para enfrentar esse desafio, a ABCasa escolheu implantar o CRM da StarSoft por sua praticidade e também pela qualidade do treinamento e suporte oferecidos pelo sistema. O resultado dessa parceria foi um projeto de sucesso, entregue dentro do cronograma estabelecido.

O processo de implantação ocorreu dentro do prazo estimado (3 meses). Além disso, não apresentou grandes problemas de integração com o módulo já existente. Profissionais remotos e presenciais foram disponibilizados para esse projeto, por exemplo. O treinamento dos usuários foi intenso. Mas a aceitação e assimilação da interface e funcionalidades foi eficaz e satisfatória. Isso tanto para quem nunca tinha usado um sistema de gestão, como para os que já tinham familiaridade com outros sistemas.

Resultados

Hoje, apenas dois departamentos da ABCasa ainda não fazem uso do módulo CRM: são 23 usuários do sistema. Os departamentos comercial e de relacionamento foram os que apresentaram crescimento mais significativo. Após a implantação do CRM, esses setores cresceram cerca de 30%.

A previsão é que, até o final de 2018, todos os departamentos tenham acesso ao CRM. O que irá contribuir para o aumento do compartilhamento e uniformidade das informações. Além disso, dentro do critério planejamento, as informações passam a ser mais consistentes e acessíveis à todos. O mapeamento dos processos foi determinante para a Associação saber onde melhorar e aprimorar.

Para Antonio Andrade, Gestor Executivo da ABCasa Fair, o sistema foi a solução perfeita.

“A StarSoft nos deu liberdade para parametrizar, desenvolver internamente, ter um webservice e integrar, por exemplo. Não ficamos reféns do sistema como acontecia com outros softwares. Somando os treinamentos e suporte, foram fatores decisivos para a escolha da solução CRM da StarSoft.”

Aparecido Mello, Gerente Financeiro da ABCasa Fair, também ficou satisfeito.

“A implantação do sistema foi tranquila, estamos muito satisfeitos com o produto e com o suporte da StarSoft. A quantidade de informações cadastrais disponíveis para consulta posterior é muito útil pra nós que temos um  leque enorme de fornecedores, expositores e parceiros.”

O resultado foi tão satisfatório que outros módulos StarSoft estão em análise para implantação na ABCasa.

e-Social: Cuidados ao gerar

Para cerca de 15 mil empresas brasileiras, o ano começou com muito trabalho. Desde janeiro, o envio de informações trabalhistas por meio da plataforma do e-Social é obrigatório para as companhias que faturaram acima de R$78 milhões em 2016. Também é obrigação para empresas que fizeram adesão antecipada ao sistema. Para que haja conformidade em todos os campos e evitar multas, as empresas precisam ficar atentas aos envios das informações. Por isso separamos alguns cuidados que precisam ser tomados ao gerar o e-Social, confira!

Atenção ao envio das rubricas

Ao enviar as informações das remunerações dos trabalhadores, elas precisam constar na tabela de rubricas (Tabela 03). É fundamental entender como funciona a tabela de rubricas, pois pequenas falhas podem gerar problemas graves. Isso porque o governo irá considerar essas informações para base do cálculo de FGTS, IRRF, INSS e Sindical Laboral. Por isso, é imprescindível garantir a adequação dessas incidências, já que elas terão um efeito cascata. Isso significa que uma alteração pode afetar diretamente os demais dados.

Cautela no fechamento da folha

Muitos empregadores possuem em sua folha de pagamento diversos valores. Estes correspondem não apenas ao salário contratual, mas também ao comissionamento e deduções de convênios. Para apurar o valor devido ao colaborador, é essencial que a empresa estabeleça um cronograma mensal. É importante conscientizar seus fornecedores e colaboradores sobre a notificação de informações que afetam os valores das verbas a serem apuradas naquela competência. Como a entrega de recibos de pagamentos referentes a prestação de trabalho em outras empresas por parte do colaborador, por exemplo. Assim a apuração da contribuição social pode correr sem problemas.

É importante lembrar que as folhas fechadas antecipadamente, sem respeitar todo o período de competência, serão uma dor de cabeça. Isso porque no e-Social pode haver divergências de valores. Essas divergências irão refletir nas movimentações de eventos não periódicos previamente enviados ao governo.

Preste atenção aos encargos

Também é importante conferir se os valores processados na folha de pagamento batem com os gerados para o governo. Eles terão impacto diretamente no recolhimento dos encargos. Portanto, deve-se aproveitar os primeiros meses de envio dos eventos periódicos para conferir os valores das guias de recolhimento. Entre elas estão GFIP, GPS, GRRF, entre outras. Deve-se compará-las com a DCTF Web e a GRFGTS, que serão geradas através dos sites dos entes participantes do e-Social.

Para te ajudar nessa tarefa de gerar o e-Social, você pode contar com o módulo e-Social da StarSoft. Acesse o site e conheça melhor mais essa facilidade que a StarSoft oferece para sua empresa!

Todo empresário com empregado agora precisa ter o e-Social

Qualquer empresa com pelo menos um empregado terá de aderir ao e-Social a partir do dia 16 de julho. Um sistema online, criado em 2013, unifica o sistema de informações trabalhistas e previdenciárias dos funcionários a serem enviadas ao governo federal.

Função

Por meio do e-Social, os vínculos empregatícios, admissão, a folha de pagamento, as contribuições previdenciárias, o recolhimento do FGTS, aviso prévio, férias, eventuais acidentes de trabalho e escriturais fiscais, tudo isso terá de ser registrado na plataforma de obrigações trabalhistas. Essas informações, que eram enviadas individualmente para o INSS, Ministério do Trabalho, Ministério da Previdência ou para a Caixa Econômica Federal, por exemplo, geravam muita burocracia e troca excessiva de dados.

Critérios

As empresas, incluindo aí as pequenas e micros empresas cadastradas no MEI, que não se adequarem ficam sujeitas a multa. Tudo depende do nível de descumprimento das normas de recolhimento, quer dizer, da obrigação que deixou de ser paga. Mas de outro lado, a fiscalização também fica mais acirrada.

As informações para o e-Social devem ser precisas e entregues no momento exato, explica o coordenador. Isto requer organização e eficiência do profissional responsável pelo controle dos dados, pelo departamento de RH.

A chegada do e-Social obrigou as empresas a fazerem uma revisão dos dados cadastrais dos trabalhadores. O que possibilitou a qualificação das informações e tende a evitar futuros problemas no saque de FGTS, seguro desemprego etc. Com os dados atualizados haverá mais rapidez na concessão de benefícios do INSS e aposentadoria, por exemplo. Também é mais fácil para a Receita Federal encontrar irregularidades.

Para garantir que tudo seja feito no prazo e as informações sejam entregues de maneira correta, as empresas precisam fazer uma revisão na área tributária, previdenciária e trabalhista. Cuidar da adequação da infraestrutura de redes, conexão e segurança e capacitar os profissionais envolvidos, por exemplo, também.

Microempreendedores – MEI e empresas do Simples Nacional

A expectativa é a de que perto de 155 mil Microempreendedores Individuais (MEI) com empregados e 2,7 milhões de empresas do Simples Nacional façam seu cadastro no e-Social.

O empregador sem funcionário não está obrigado a aderir ao e-Social. Mas deverá verificar anualmente se não está obrigado a essa escrituração. Já aquele que tiver mais de um funcionário será obrigado não só à adesão como também a ter certificado digital.

Fonte: Estadão Economia e Negócios

Novo cronograma para entregas do eSocial

Dia 05/10, foi publicada no DOU a Resolução CDES nº05 pelo Comitê Diretivo do eSocial. Essa resolução alterou a CDES nº02 e definiu novos prazos para o envio de eventos para o eSocial. Ou seja, o objetivo é aperfeiçoar o processo de implantação no sistema. A primeira etapa englobou as 13.115 maiores empresas do Brasil. Após sua finalização, foi possível enxergar com exatidão os desafios enfrentados pelas empresas para adequar seus sistemas e processos ao novo modelo de informação.

Muitos contribuintes que pediram para que os prazos do processo de implantação do sistema fossem estendidos. Por isso, para suprir as necessidades das entidades representativas desses contribuintes, é que a nova determinação foi desenvolvida.

Mudanças

Para as empresas do 1º grupo não houveram alterações. Isso porque elas já estão transmitindo para todos os eventos do eSocial. Excetuando apenas os eventos de SST, porque estes serão enviados a partir de julho de 2019.

Já no 2º grupo do cronograma anterior, por exemplo, as empresas foram divididas em dois novos grupos. Um grupo reservado para as entidades optantes pelo Simples Nacional, empregadores pessoa física e entidades sem fins lucrativos. Já o outro é para as demais entidades empresariais com faturamento em 2016 de até R$78 milhões.

Para fazer a classificação no 2º ou no 3º grupo, o eSocial vai considerar a situação de opção pelo Simples Nacional em até 1º de Julho de 2018. Assim, empresas constituídas depois dessa data com opção pelo Simples Nacional também vão entrar no 3º grupo.

No entanto, as outras entidades empresariais devem enviar seus eventos periódicos em janeiro de 2019. Por isso, os eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) começam em julho do ano que vem para o primeiro grupo. Mas os órgãos públicos e organizações internacionais só começam a transmitir seus primeiros eventos em janeiro de 2020.

O eSocial publicará maiores orientações para empresas integrantes do 3º grupo que transmitirem algum evento de tabela até amanhã (09/10).

Vale, também, lembrar que o sistema eSocial está sendo desenvolvido normalmente, dentro do cronograma. As alterações propostas na nova resolução vêm apenas para simplificar o processo de implantação para os contribuintes que estão se adequando ao novo sistema, por exemplo.

Detalhes do cronograma

1º Grupo

Entidades empresariais com faturamento no ano de 2016 acima de R$78.000.000,00:

Tabelas: 08/01/2018

  • Não Periódicos: 01/03/2018
  • Periódicos: 08/05/2018 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: agosto/2018
  • Substituição GFIP FGTS: novembro/2018
  • SST: julho/2019

2º Grupo

Entidades empresariais com faturamento de até R$78.000.000,00 em 2016:

Tabelas: 16/07/2018

  • Não Periódicos: 10/10/2018
  • Periódicos: 10/01/2019 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: abril/2019
  • Substituição GFIP FGTS: abril/2019
  • SST: janeiro/2020

3º Grupo

Empregadores que optaram pelo Simples Nacional, empregadores pessoa física (exceto doméstico), produtor rural e entidades sem fins lucrativos:

Tabelas: 10/01/2019

  • Não Periódicos: 10/04/2019
  • Periódicos: 10/07/2019 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: outubro/2019
  • Substituição GFIP FGTS: outubro/2019
  • SST: julho/2020

4º Grupo

Entes públicos e organizações internacionais:

Tabelas: janeiro/2020

  • Não Periódicos: Resolução específica, a ser publicada
  • Periódicos: Resolução específica, a ser publicada
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: Resolução específica – a ser publicada
  • SST: janeiro/2021

Como o ERP pode ajudar o setor de RH a crescer e se organizar melhor

 

Recursos Humanos e Erp
O que o ERP pode fazer pelo seu departamento de recursos humanos?

O departamento de Recursos Humanos – conhecido pela sigla RH – é um dos mais importantes de uma empresa. Nele é feito todo o gerenciamento de pessoas: o bem mais precioso de uma organização. Para que tudo se mantenha em pleno funcionamento, garantindo a saúde da corporação e dos funcionários, é necessário investir em algumas tecnologias. A integração de dados por meio de sistemas é uma boa opção, e pode ser feita por meio do ERP, sigla em inglês para Enterprise Resource Planning, ou planejamento dos recursos da empresa.

Por esse sistema é possível organizar todo o negócio, desde o planejamento de recursos, controle de despesas, números e dados importantes para o RH como controle do pessoal, folha de pagamento, medicina e segurança do trabalho e o envio do eSocial.

O que o ERP pode fazer pelo departamento da sua empresa?

Existem diversas funções e controles para o setor de RH utilizando sistemas de integração. No controle da folha de pagamentos, por exemplo, é possível consultar rapidamente relatórios completos com os mais diversos dados, inclusive por período, como saldos totais, lançamentos detalhados e pesquisas analíticas, além de conseguir facilmente fazer o levantamento das necessidades individuais ou coletivas dos empregados. As demandas mais burocráticas e manuais dão espaço à tecnologia.

O controle de ponto eletrônico também é uma das inovações mais tecnológicas. Ela permite diversas variações, inclusive opções de inserção de horários flexíveis para determinados funcionários sem interferir nos horários dos outros. Um controle de banco de horas digital pode ainda cuidar dos créditos e débitos dos funcionários, gerenciando os pagamentos ou cobranças.

Outro ponto importante da digitalização do setor é o desenvolvimento organizacional, característica fundamental de uma empresa, que pode ser determinante para o seu sucesso. Em um ERP é possível cuidar os funcionários de forma mais estratégica, desenhando atividades que os façam crescer ao lado da organização, diferentemente dos controles manuais.

É possível destinar o investimento certo para treinamentos e estudos, por exemplo, e controlar cursos externos e internos para as equipes e/ou funcionários. Cargos, salários e treinamentos necessários são cruzados para determinar os próximos passos. Isso é inteligência digital.

O banco de talentos pode valer ouro se for bem aproveitado. Muitas empresas recebem diariamente dezenas de currículos e portfólios. Por meio de um banco digital é possível armazenar cadastros, desenhar informações e estratégias necessárias para recrutamentos, organização de etapas para seleções, criar regras para determinar potencialidades e muito mais. Verdadeiros talentos não devem ser desperdiçados, e manter isso de forma online é fácil e prático.

Integração é fundamental

Não é só o RH que pode ter um sistema sólido e funcional por meio de ERP. Outras áreas da empresa precisam contar com ferramentas tecnológicas para focar no crescimento, aumento de produtividade e redução de custos. Mas ter softwares diferentes para cada setor pode ser ainda mais fatal do que não ter nenhum.

É aí que a palavra “integração” ganha força. Uma empresa que forneça gestão de dados e informações completas, incluindo ferramentas de ERP para Recursos Humanos, é a escolha certeira para esse sucesso.

A solução estratégica aponta um crescimento operacional orgânico, proporcionando benefícios, rentabilidade e focando em competitividade de mercado. O investimento em tempo será bem aproveitado, permitindo que o foco seja nos negócios, sem perder tempo – e dinheiro! – com burocracia.

A permanência de processos manuais pode, inevitavelmente, resultar em erros humanos e perda de recursos. Mas usar diversos softwares em diferentes áreas da empresa que não conversam também. Além de retrabalho, isso pode gerar esforço excessivo em refação e custos extras.

Por que é importante migrar e integrar já?

A StarSoft, empresa brasileira especializada em gestão de dados com quase 30 anos de experiência, leva ao mercado de RH seu know-how em gerenciamento com a ferramenta StarSoft Applications RH, que conecta a inteligência do departamento com todo o seu negócio, facilitando tarefas administrativas e burocráticas automatizando processos e integrando-os às estratégias da companhia.

A solução é flexível e atende empresas de pequeno, médio ou grande porte, acompanhando todas as necessidades de cada uma e integrando inclusive legislações vigentes e ao que está previsto para o futuro, como é o caso do eSocial, projeto do governo que vai unificar a relação entre o fisco e empresas brasileiras.

Os módulos são divididos para atender todas as demandas do setor, desde folha de pagamento, banco de horas, desenvolvimento organizacional, alterações salariais, admissões, desligamentos, banco de talentos, segurança do trabalho etc.

Para saber mais detalhes sobre a plataforma, acesse https://www.starsoft.com.br/contato/ ou ligue para o telefone: (11) 4133-2200 e converse com os consultores da StarSoft.

eSocial: Transformação digital no RH

 

Rh e o eSocial
Mais detalhes sobre o eSocial e a transformação do RH

O controle de informações de vínculos empregatícios como é conhecido no Brasil está prestes a mudar. A partir de janeiro de 2018, o Governo Federal colocará em prática o eSocial, um sistema automatizado para gerenciar e unificar informações prestadas por empresas brasileiras referentes à prestação de contas fiscais e trabalhistas do empregador.

O projeto do governo visa instituir mais segurança nas informações de RH, tanto fiscais como previdenciárias e trabalhistas. Começará a valer inicialmente para empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões, e, a partir de julho de 2018, para as demais companhias.

Trata-se de um módulo do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), instituído pelo decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, como uma escrituração digital que tem como objetivo unificar a relação entre o fisco e as empresas contribuintes brasileiras. O envio dos dados para validação será único e padronizado, substituindo os antigos registros excessivos e manuais muito mais burocráticos, como registros mensais da folha de pagamento e outras obrigações. Simplificando esses processos, os dados das empresas passam também a ser enviados rapidamente, à medida em que ocorrem.

O departamento de gestão de pessoas está mudando

A ideia do eSocial é facilitar o trabalho do departamento de RH das companhias, que passarão a fazer um único envio de todas as informações importantes – antes enviadas a diferentes setores do governo e em diferentes formatos – , como o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP), a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), a Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF), Seguro Desemprego, Previdência Social, o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), o Manual Normativo de Arquivos Digitais (MANAD) e outras obrigatoriedades. Tudo deverá ser acompanhado da assinatura digital da companhia.

Uma das áreas mais importantes da empresa, já que cuida da gestão de pessoas, merece um sistema que simplifique as atividades e reduza a burocracia, e é isso que o eSocial vai oferecer. O objetivo é justamente permitir um alívio maior às equipes, gerando economia e praticidade.

 Confira as principais vantagens que o eSocial poderá trazer para a sua companhia:

  • Reduzir a complexidade do trabalho, já que os envios manuais e trabalhosos passarão a ser digitais e facilmente implementados;
  • Um fluxo melhor de informações por meio da internet e plataforma digital;
  • Desburocratização das principais informações da empresa;
  • Agilidade, praticidade e liberdade no dia a dia da equipe de RH;
  • Gestores mais focados no crescimento dos negócios e não em burocracia.

Os profissionais de RH passarão por muitas mudanças com esse novo cenário e precisam se adaptar rapidamente, já que a homologação logo entrará em vigor. Já está disponível um espaço de teste na Receita Federal para que as empresas submetam algumas informações na plataforma e possam verificar se estão fazendo de forma correta, e ao mesmo tempo o Governo pode verificar como as companhias estão se adaptando à novidade.

O importante é atentar-se que as informações terão um prazo rigoroso para submissão à plataforma. São elas:

  • Dados dos funcionários;
  • Admissões;
  • Desligamentos;
  • Horas trabalhadas;
  • Alterações salariais;
  • Aviso de férias;
  • Atestados de saúde;
  • Folha de pagamento etc.

Como migrar seus dados para a plataforma com segurança

O primeiro passo para a sua organização é se certificar que todas as informações dos funcionários estejam corretas, já que esses dados serão cruzados com o banco de dados do Governo Federal e não podem ter nenhuma divergência. O segundo passo é contar com uma consultoria especializada, que possa qualificar seus dados, auditar, reestruturar e capacitar a sua equipe.

Para isso, a StarSoft, empresa com quase 30 anos de mercado, a serviço da gestão de dados e informações, oferece o StarSoft Applications, uma solução eficiente com diversos módulos para o gerenciamento completo de dados, preparado para atender às necessidades dos mais diversos órgãos e entidades de fiscalização do país, como a Receita Federal.

Com a contratação de uma equipe especializada da StarSoft, a sua empresa terá a assessoria na organização, na migração e inserção de dados, fazendo uma verdadeira auditoria, validando o que é indispensável e obrigatório, apontando possíveis divergências e erros. Em seguida, toda a transmissão, armazenamento e gerenciamento do que deverá ser enviado será acompanhado e orientado por eles. A ideia é que o seu negócio sofra o menor impacto possível e tire o melhor proveito da novidade.

Para conhecer melhor a solução de eSocial que a StarSoft preparou, acesse o link: https://www.starsoft.com.br/solucoes/recursos-humanos/esocial/. Saiba mais também sobre as outras soluções que a empresa desenvolveu para atender às exigências legais e facilitar o gerenciamento de informações da sua companhia. Entre em contato pelo site https://www.starsoft.com.br/contato/ ou pelo telefone: (11) 4133-2200 e conheça a StarSoft.

A implantação de um ERP pode ser fácil e eficiente

 

implantação erp
Como a implantação do ERP pode ser fácil e eficiente?

Um dos cuidados mais importantes para manter a saúde dos negócios e o funcionamento positivo da sua empresa é manter uma boa organização desde a financeiro até os processos. Para isso, ter um sistema ERP é fundamental.

Essa solução de planejamento de recursos da empresa, conhecido pela sigla ERP, é responsável por integrar todos os principais dados e informações para diversos fins, como manter processos organizados, controlar o fluxo de entrada e saída de produtos, curso caixa, registros de recursos etc., e é oferecido por empresas especializadas em gerenciar dados por meio de softwares inteligentes e equipe capacitada.

O melhor proveito de um software de ERP ocorre através da implantação.  É nesse momento, que é feito o mapeamento de todos os processos da empresa que serão ajustados e parametrizados dentro de um sistema. Esta etapa é crucial para que um sistema funcione perfeitamente e a empresa usufrua dos benefícios do mesmo.

Por que a etapa antes da implantação do ERP é tão importante?

Para aproveitar ao máximo tudo o que um bom sistema ERP pode proporcionar, a empresa de ERP irá seguir alguns procedimentos no momento do mapeamento:

  • Definir bem os processos já existentes e organizar os dados e informações em departamentos, áreas, procedimentos etc., de acordo com suas necessidades e exceções;
  • Determinar o fluxo de trabalho da empresa e como a equipe funciona;
  • Se já houver um sistema de organização, preparar a transferência das informações para o novo sistema migrar estes dados;
  • Otimizar processos que podem ser facilitados, como recursos que antes eram off-line e manuais e passarão a ser on-line.

Tudo isso serve como um check-up para saber como a sua empresa está operando, encontrar possíveis falhas, custos altos que podem ser reduzidos ou repassados e o que está funcionando bem. É exatamente durante esse processo que será possível observar erros e acertos, fazendo um verdadeiro checklist para que o sucesso seja absoluto quando o novo sistema for implantado.

Como começar a migração

O ponto mais importante para uma empresa que iniciará a migração para um novo sistema, é ter a convicção que a empresa contratada possui todo o know-how necessário para o sucesso do mesmo. Conhecer o histórico dessa empresa, histórias de sucesso de outras implantações e qualidade em seus serviços prestados é fundamental para que a sua empresa possa ficar tranquila quanto ao sucesso de todas as etapas da implantação.

Confiança é fundamental. A empresa que implantará o sistema, iniciará o mapeamento estando próximo de sua empresa. É importante passar todo o tipo de briefing necessário e participar de reuniões constantes com os consultores que farão a migração, para que eles identifiquem a melhor forma de agir ao entender a sua companhia. A equipe de implantação levantará as principais respostas para questões do tipo: como a sua fábrica/ loja/ estabelecimento funciona? Qual é o seu processo de venda? Como é o fluxo de trabalho das equipes? Como é feita a organização de entrada e saída de produtos? A transição, então, avança para etapas mais complexas e detalhadas, e o resultado é um sistema especial e personalizado.

Tire o melhor proveito desse processo

Contar com um bom sistema de ERP vai permitir que a sua empresa cresça. Não somente pela gestão de informação, mas pelas decisões mais certeiras em cima de dados compilados pela plataforma, pela otimização do trabalho das equipes, que resulta em maior produtividade e pelas decisões que envolvem custos.

A integração de dados é vital para os negócios, já que é possível cruzar números da sua companhia com o mercado. Além disso, uma boa organização prévia só vai garantir uma reorganização completa quando todos os dados estiverem no sistema.

Entenda que essa integração vai permitir que os dados estejam mais facilmente disponíveis, tanto para gestores e tomadores de decisão quanto para os funcionários que operam sistemas manuais o tempo todo e poderão gerir o trabalho de forma mais ágil.

A experiência e responsabilidade da StarSoft no universo ERP

A contratação de uma empresa especializada em gerenciamento e controle de dados é fundamental para que esse processo de implantação, desde o mapeamento de dados, aconteça da forma mais adequada e tranquila. A StarSoft é a escolha certeira para o assunto. O seu método de implantação do ERP StarSoft Applications é muito bem mapeado e aplicado.

Com a sua expertise de quase 30 anos no mercado, nos mais diversos segmentos e portes de empresa, o momento de implantação se torna uma fase tranquila para sua empresa. Contando com os melhores consultores do mercado, a sua empresa conta com todo o suporte e estrutura necessários para que o sucesso da implantação seja garantido. Os consultores fazem uma análise detalhada para que sua empresa tenha confiança e tome as decisões necessárias para continuar.

O ERP StarSoft Applications é uma solução completa que compreende todas as áreas de sua empresa. Mesmo sendo uma solução com inúmeras funcionalidades, o processo de implantação e mapeamento de dados ocorre de forma perfeita em todos os departamentos. Entre as categorias disponíveis para gerenciar o seu negócio na plataforma da StarSoft, estão: produção, gestão financeira, suprimentos, controladoria, gestão de projetos, vendas e distribuição, gestão de importação e gestão de frota. Por meio de toda essa variedade é possível cuidar dos recursos humanos, do desenvolvimento organizacional, de eSocial e outras questões legais, de CRM, atendimento, marketing e até analytics e business intelligence.

Para conhecer a Gestão Empresarial | ERP e os outros serviços oferecidos pela StarSoft, entre em contato pelo link https://www.starsoft.com.br/contato/ ou pelo telefone: (11) 4133-2200.

Paste your AdWords Remarketing code here